Doenças das Carótidas Diagnóstico e Tratamento

Doenças das Carótidas Diagnóstico e Tratamento

Doenças das Carótidas como é diagnosticada?

Em alguns casos, os primeiros sintomas das doenças das carótidas podem ser um acidente vascular cerebral ou um mini-acidente vascular cerebral chamado Ataque Isquêmico Transitório (AIT). Os sintomas de um acidente vascular cerebral ou ataque isquêmico transitório podem incluir:

  • Dormência nos braços ou pernas, especialmente quando limitada a um lado do corpo;
  • inclinando-se de um lado do rosto;
  • confusão;
  • dificuldade em falar ou entender discurso;
  • um súbito episódio de perda de memória;
  • dificuldade de ver de um ou ambos os olhos;
  • desorientação ou perturbação na coordenação;
  • dor de cabeça severa.

A presença temporária destes sintomas (alguns minutos ou horas) indica um ‘mini’ AVC (TIA). Os sintomas que duram mais de 24 horas indicam mais danos permanentes devido a um derrame.

O bloqueio (estenose) das artérias carótidas também pode ocorrer sem sinais ou sintomas. Isso é chamado de estenose assintomática e predispõe o paciente a ter um derrame. A estenose assintomática nas artérias carótidas é às vezes descoberta durante um exame de rotina, quando um “sopro”, um som de balanço, é ouvido através de um estetoscópio colocado no pescoço na área sobre a artéria. Um sopro geralmente indica um nível significativo de estenose na artéria.

Quando existe a suspeitar de que você tem um grau significativo de estenose em suas artérias carótidas, deverá se realizar um exame que consiste em testes específicos. Estes podem incluir:

  • Ultrassom duplex;
  • Angiograma cerebral;
  • Angiografia por Ressonância Magnética (MRA);
  • Tomografia computadorizada.

Como é tratada a doença da artéria carótida?

A doença da artéria carótida leve pode às vezes ser tratada com medicação e modificação do fator de risco, como cessação do tabagismo e redução dos níveis de colesterol, e monitorada para progressão para uma forma mais grave.

Doença mais grave é geralmente tratada com uma operação chamada endarterectomia carotídea. Em certos indivíduos, um procedimento minimamente invasivo chamado stent carotídeo pode ser possível.

Dra. Renata Rocca – Cirurgia Vascular

– Veja todos os meus posts CLIQUE AQUI
– Fique por dentro! Curta a minha página no Facebook CLIQUE AQUI